quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Conto: Cronista das Eras - Flama

Crepúsculo, 10° Lua cheia de Inverno, 16 Ciclo da 2° Era



"Que fofinho" disse Lupina, Corin parou tudo e olhou muito sério para a loba.
"Fofinho?" perguntou ele levantando e deixando o metal incandescente e o martelo na bigorna.





"Eu não Sou Fofinho!" Elevou a voz e pulou derrubando a loba em cima das peles no chão onde estava sentada, segurando os pulsos da loba e a encarando nos olhos prosseguiu em tom sereno mas ameaçador "Eu sou Morte...." e mordeu o pescoço dela com força moderada lambendo o pescoço dela no espaço entre dos dentes em seguida descendo com a língua pelo pescoço, barriga e parando dando passeadas ao redor e no umbigo. Voltou a encarar ela olho no olho, ela estava com coração a mil, respirando rápido e muito corada ele se aproximou da orelha dela expirando o ar bem lentamente e disse no ouvido dela "Eu... sou... fogo." terminou penetrando-a beeeem de...va...gar...




"mnff...aaaauuuuuuuUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUuuuuuuuuuuu....."

O som ecoou por milhas.... Drako que estava na aldeia torceu a orelha para trás.... com o som que chegava...
muitos estavam confusos por não saber o que significava nem a mensagem que era passada "HAAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHA como só um dragão consegue..." Comentou Drako para si mesmo com um largo sorriso, voltando a deitar a cabeça entre asa-patas "Acho que aquela caverna vai estar estéril depois desse fogo todo. hahaha"

May the ancestor look after you... May they look after us all.

Drakkon Malefor Níõhöggr ~ Cronista das Eras


Parte VI                                    Inicio                             Parte VII

domingo, 21 de agosto de 2016

Conto: Cronista das Eras - Improvável

Manhã, 10° Lua cheia de Inverno, 16 Ciclo da 2° Era



Lupina estava no meio da mata ao norte da aldeia observando uma flor muito curiosa, era uma planta pequena e no topo abria-se algumas flores, pétalas brancas no centro e roseando aos poucos até a extremidade onde demonstrava um rosa vibrante.
Aquela flor havia crescido ali isolada sem nenhuma outra planta semelhante por perto, na trilha para sua toca nas montanhas aquela flor era a única semelhante em toda parte norte cujo o qual já caminhara.





Barulhos de asas quebraram a concentração, o dragão pousou um pouco mais a frente na trilha "Lobinha !" Lupina de imediato correu para ele "Draco !!!" e pulou nele, segurando-a giraram juntos, encararam-se por alguns segundos e se beijaram...
 



Outro som de batida de asas interrompeu o romance, "Drem Yol Lok pombinhos" saudou o dragão pousando, "Drako !!!" correu Lupina pulando nele para abraçá-lo "Guff.... auch... um dia você ainda me quebra, filhote" disse Drakkon "Eu não sou filhote" falou Lupina enquanto voltava para junto de seu Draco... "Filhote só deixa de ser filhote quando faz filhote... hm?... mas já?" Lupina corou "Não !" "Então é filhote ainda... Yol Valheru Corin, voltando da SkyForge?" Corin respondeu "Sim, Uma espada muito cheia dos pormenores... tedioso." Drakkon percebeu a flor quase ao seu lado. "Olha... quem diria" Lupina correu pra ele "Sabe que flor é essa??" "uhum, é uma Clematite, ela representa beleza espiritual, criatividade... Está dentro do território de vocês Corin, isso é uma coisa boa, muitos casais não tem uma alma pura e quando um deles tem rapidamente se perde" Drakkon parou para observar o casal a sua frente, era uma linda dupla "Lupina, que me diz a respeito da proposta que lhe fiz?" "Eu não sou boa escrevendo, acho que não deveria ser eu.." "HAHAHAHAHAhahahahahaha..... Lobinha eu conheço você, você é perfeita para isso então não se cobre tanto, você tem tudo que é preciso mas agora, sugiro que vá apagar o fogo do seu dragão, duas semanas numa forja não é para todos." Drakkon bateu assas e partiu dizendo "Acho que aquela caverna vai pegar fogo... vou adiar esta visita, Aproveitem !!!" a meio caminho do penhasco do oceano um pensamento lhe atingiu a mente: Aproveitem, não sei por quanto tempo mais será possível...



May the ancestor look after you... May they look after us all.

Drakkon Malefor Níõhöggr ~ Cronista das Eras

Parte V                                    Inicio                             Parte VI . I

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Demônio Licantropo - Glasya-Labolas




Zodiaco: 0-4 graus de Leão
Jul 23 .-27.
Tarot: 5 de Barras
Planetas: Sol
Metais: Ouro
Cor da Vela: amarelo
Planta: Rosemary
Elemento: Fogo
Ranking: Presidente / Conde


O vigésimo quinto espírito é Glasya-Labolas, Glacia-Labolas, Glaysa, Caacrinolas, ou Cassimolar. É um Presidente e Conde poderoso, e revela-se na forma de um Cão com asas como um Grifo. Ministrando todas as artes e ciências em um instante, e causa derramamentos de sangue e insanidade. Ele ensina todas as coisas passadas e futuras. Se desejado ele causa afeição. Tem o poder da invisibilidade. Comanda 36 legiões de espíritos. 

De acordo com a descrição do Satanismo, ele sabe todos os segredos ocultos e de antiga sabedoria. Ele ensina todas as ciências e pode causar a morte e assassinato. Ele pode tornar invisível e incita derramamento de sangue. Ele pode prever o futuro; discernir o passado e o presente. Ele pode causar amor de amigos e inimigos.

O relato da experiência do Alto Sacerdote Maxine:

"Glasya-Labolas é pequeno, muito magro e tem cabelo loiro escuro (em sua forma "angelical"). Ele parece ser muito jovem, como um adolescente, e tem a pele levemente bronzeada, e voou em círculos em volta do meu quarto. Suas asas são brancas."

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Conto: Cronista das Eras - Um achado Crescido

Tarde, 10° Lua crescente de Inverno, 16 Ciclo da 2° Era




Ouvia-se sons abafados de socos vindos de uma clareira na floresta perto da aldeia, lá dois lobos lutavam intensamente. Golpes precisos e calculados, rápidos como relâmpagos e fortes como trovões já se estendiam por quase duas horas quando foram interrompidos.
"Yol, Filhote..." saudou Drako. "Já se passaram 10 anos, vai continuar me chamando assim?" respondeu o lobo, "Vou, até aprender que não se ataca uma fêmea.... filhote só deixa de ser filhote quando começa a fazer filhotes haha", o lobo ficou um pouco inquieto "não apresse as coisas Drako, não seria prudente algo antes da hora..."  "a hora é esta noite haha vai ser uma comemoração e tanto." respondeu batendo asas e voando de volta.




. . . . .




"...e diante de todos aqui presentes, das estrelas, dos elementos e dos deuses, que sua união seja banhada pela luz e graça da lua e que dure às eras. a partir deste momento são conhecidos como Nycole e Freki Essain."



Uivos de vivas ecoaram pela aldeia, alguns em homenagem à felicidade do casal outros em comemoração à finalmente poder comer e beber.
a caça foi reforçada na última semana justamente para este evento, frutas e vegetais foram colhidos para os eventuais amigos herbívoros ou onívoros que apareceram para o evento... mas o maior de todos os atrativos era o néctar de Marula, uma bebida tão deliciosa quanto alcoólica.




Os festejos se arrastariam por toda a noite até o amanhecer, alguns convidados já estavam bastante alterados outros tímidos nos cantos, os noivos já haviam 'sumido' à essa altura e provavelmente estariam uivando como se fosse 'Lua Cheia'. Drako observava tudo isso mais a distância... um momento de alegria e diversão no meio de tanta confusão com certeza seria de grande bem.



May the ancestor look after you... May they look after us all.

Drakkon Malefor Níõhöggr ~ Cronista das Eras

Parte IV                                    Inicio                             Parte VI

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Conto: Cronista das Eras - Despedida

Noite, 9° Lua nova de Inverno (Lua Negra), 16 Ciclo da 2° Era

O lobo assistia a cerimônia que acontecia à distância passando a pedra na lâmina no seu já afiado machado, velhos hábitos de um antigo guerreiro nunca se perdem.
"Yol pulguento" Saudou Drakkon Pousando ao seu lado, "Yô lagartixa" retribuiu o lobo.
"Você é o único corajoso ou estúpido o bastante para me chamar assim" comentou o dragão sorrindo, 
"Já esqueceu do outro? calango..." retrucou o lobo, seu semblante escureceu ainda mais.

"como poderia esquecer? a propósito, agora você tem suas próprias asas, isso não faz de você um Arcanjo Lycan?"
"passo as atenções para o outro lá, sou apenas um velho guerreiro com asas novas."
"hahahaha, velho? já está com espírito tão desgastado assim? você e ele tem quase a mesma idade. Reconheço que não a mesma experiência mas o que esperava sendo a Asa e a Pata direita do Arcanjo Lycan?"
silêncio se fez ...
"Comunicativo igual rocha, eh? Enfim... A Era dos conflitos terminou e Gadriel a terminou muito bem mesmo que pagando com a própria vida. Você e este machado são o que sobrou da Ordem de Sain'Thiagus, se não existe estou criando este título para você... Legado Lycan."
Drako bateu asas e decolou, numa passagem próxima ao solo acrescentou:
"Ao sul existe um lugar maravilhoso para um guerreiro descansar e aproveitar a vida. Viva bem..."

"Adeus pederneira" satirizou o lobo da beira do penhasco 
"Seu couro vai ser a tocha.... Abusado" respondeu Drako com humor.

O vento frio soprava e agitava a pelagem do lobo e suas plumas... ele contemplou a vista e então partiu para nunca mais retornar.


May the ancestor look after you... May they look after us all.

Drakkon Malefor Níõhöggr ~ Cronista das Eras

Parte III                                    Inicio                             Parte V

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Demônio Licantropo - Gusion



Zodíaco: 20-24 graus de Touro
10.-14. Mai.
Tarot: 7 de Pentacles
Planeta: Saturno
Metal: Chumbo
Elemento: Terra
Cor da Vela: amarelo
Planta: Aloe
Ranking: Duque 



O décimo primeiro espírito em ordem é um forte Grand' Duque, chamado Gusion, Gusoin, ou Gusayn, o Ser Amado. Aparece como um bondoso Xenopilus [Cinocéfalo, vocês ainda lembram, né?], algumas vezes na forma de um babuíno, mas saibam que na verdade a forma do demônio pode variar muito dependendo da interpretação do magista. Mostra todas as coisas, passadas, presentes, e futuras, e demonstra e responde quaisquer questões que o magista venha a formular. Ele concilia e reconcilia amizades, e dá honras e títulos. Governa mais de quarenta legiões de espíritos, alguns autores dizem quarenta e cinco, mas de qualquer jeito é muito demônio que ele governa. 

O que Aleister Crowley quis dizer com Cynocephalus se refere ao licantropo como “uma criatura triste e estranha”, como também pode ser referência a criatura alada que ilustra a carta Roda da Fortuna do Tarot, no intuito de remeter a sabedoria. 

Gusion tem pouco cabelo, ossos altos no rosto e pele bronzeada. É bem construído com suas asas brancas brilhantes (na sua forma angelical). Gusion é muito calmo e pacífico e traz uma sensação de segurança e conforto.

O Alto Sacerdote Salem Burke fala sobre a sua experiência com Gusion:

 "Gusion é DEFINITIVAMENTE brusco, mas educado, eu perguntei-lhe sobre algo não relacionado com a convocação, e ele disse simplesmente se eu gostaria de pedir ao outro Demônio uma próxima vez, e voltou com a tarefa em mãos, com magnifica deliberação.

Verifico que as resposta de Gusion geralmente são algo que a pessoa TÊM que aceitar, a fim de ser mais forte (mesmo se apenas como uma possibilidade) para fortalecê-las - é estranho. Mas Gusion é bom com perguntas também. Todos eles (os demônios) são honestos, para deixar claro, mas penso seriamente que não querem ferir nossos sentimentos, até porque querem nossa adoração também. O método de Gusion consiste em fornecer informações duras."